Bengala ou muleta: entenda qual a melhor para você

Segundo dados do BVS, há uma queda para um a cada três idosos com mais de 65 anos, e um em vinte dos quais sofrem as quedas acabam por sofrer também fraturas ou internações.

Dito isso, percebemos que a prevenção contra quedas neste grupo social não é uma tarefa nada fácil. No entanto, a disposição de auxílios-locomoção é uma grande proposta preventiva à redução de quedas entre idosos.

Os dispositivos auxiliadores de marcha (DAM), como são conhecidas as bengalas, muletas e andadores, são indispensáveis para a independência mobilística e funcional daqueles que sofrem de algum enfermidade que acomete os membros inferiores.

Entretanto, não só idosos, mas indivíduos que possuem algum déficit funcional também podem utilizar dos benefícios dos auxílios-locomoção. Para que você conheça um pouco mais sobre os dispositivos auxiliadores de marcha, no post de hoje trouxemos tudo sobre as bengalas e muletas, bem como as suas funcionalidades. Entenda:

Quando e por que usar bengalas ou muletas?

Os dispositivos auxiliares de marcha requerem algumas condições de uso protocolares. Em linhas gerais, estes dispositivos são essencialmente caracterizados pelas bengalas e muletas, que comumente são utilizadas por idosos e pessoas que apresentam limitações funcionais.

Sendo assim, para se responder a questão “quando usar?”, é preciso antes levantar outras questões: qual a mobilidade funcional desse indivíduo no dia a dia? A mobilidade dessa pessoa se restringiria a deslocamentos mais curtos, como ir ao banheiro, ir a sala? Ou o problema se dá em grandes deslocamentos externos?

Além disso, os dispositivos auxiliares de marchas são mais requisitados quando há a constatação de doenças reumatológicas e ortopédicas. Nesses casos, o uso é de suma importância para garantir uma melhor redistribuição muscular e, sobretudo, maior liberdade de movimentos.

Sabe-se que o uso de bengalas e muletas reduz a carga e pressão das articulações dos membros inferiores, diminuindo assim a dor e possíveis sequelas nos membros afetados. Além disso, estes auxiliadores de marcha perfilam como grandes colaboradores na independência do “ir e vir” daqueles que o utilizam.

Aliás, em um estudo feito com pessoas vítimas de sequelas de AVC, a bengala padrão, também conhecida com bengala em T, foi extremamente funcional na reabilitação dos movimentos destes pacientes, na medida em que o auxílio-locomotor gerou maior estabilidade e ativação muscular.

Além disso, foi possível notar nos pacientes maior segurança no momento de locomoção quando utilizado o auxílio de marcha, evitando assim o medo de possíveis quedas, o que corrobora para a maior segurança dos idosos.

Afinal, sabemos que quedas são frequentes entre os idosos e podem trazer sequelas irreversíveis, o que por si só já justifica a importância do uso dos dispositivos auxiliadores de marcha.

Tipos de bengalas e suas especificidades

As bengalas são eficientes para redistribuição do peso do membro inferior lesionado, além de serem guias, uma vez que oferecem maiores informações concernentes aos obstáculos encontrados no ambiente, evitando assim tropeços e quedas.

Imagem com fundo branco e muleta do tipo t regulável

O uso da bengala é feito sempre na mão oposta do membro lesionado com fins de dirimir a sobrecarga muscular, a pressão articular e possibilitar ao usuário realizar atividades básicas do cotidiano.

Mas existem vários tipos de modelos de bengalas no mercado de artigos ortopédicos, variando de modelo e design, e que visam atender algumas demandas específicas. Vejamos a seguir alguns modelos:

Bengala padrão

Indicadas para pacientes que têm déficit de equilíbrio, as bengalas padrão são o menor custo do mercado de dispositivos auxiliares de marchas, podendo ser feitas em madeira ou em alumínio.

Imagem com fundo branco e ao centro bengala comum de alumínio

Em geral, as bengalas de madeira precisam ser fabricadas no tamanho do usuário, de forma a não causar problemas posturais, já as de alumínio contam com a prerrogativa de serem ajustáveis, o que as tornam práticas e funcionais.

Bengalas offset

As bengalas com dobra ou offset são ideais para usuários que necessitam de um auxílio-locomoção para apoiar o peso do corpo, posto sofrerem de alguma doença reumatóide tal como artrite e/ou artrose nas juntas dos membros inferiores.

Em geral, essas bengalas são encontradas em alumínio, uma vez que precisam aguentar a carga de peso do quadril. No mais, as bengalas offset são extremamente úteis para pacientes que possuem uma enfermidade unilateral.

Bengalas de 4 apoios

Bengalas com mais de um apoio, mais conhecidas como quadripés, oportunizam o suporte de uma carga de peso maior, uma vez possuem 4 pés emborrachados que tocam o chão em simultâneo.

Com empunhaduras ergonômicas, essas bengalas facilitam a locomoção e concedem ao usuário maior estabilidade e precisão durante os movimentos, além de possibilitar que as mãos fiquem livres para outras atividades quando o uso da bengala não é requerido, posto que a mesma tende a ficar em pé sozinha.

Tipos de muletas e suas especificidades

Ao lado das bengalas e dos andadores, as muletas também são caracterizadas como dispositivos auxiliares de marchas (DAM). Mas, ao que concerne a funcionalidade das muletas, temos a sustentação do peso dos membros inferiores por meio do auxílio dos membros superiores, permitindo assim a deambulação funcional.

Vejamos os tipos:

Muleta axilar

De altura regulável e empunhadura manual, a grande vantagem das muletas axilares é que elas permitem a locomoção com o alívio de até 80% do uso dos membros inferiores, o que é extremamente vantajoso quando se tem alguma lesão.

Imagem com fundo branco e ao centro muleta auxilar

No entanto, o posicionamento incorreto no apoio axilar (bloco almofadado) pode acarretar compressão do nervo e vasos sanguíneos posicionados logo abaixo das axilas.

Muleta de Lofstrand

As muletas Lofstrand possuem braçadeiras para alavancar os braços, dando maior alívio para o membro inferior afetado.

A vantagem deste tipo de muleta é que ela propicia maior mobilidade na entrada e saída de automóveis, possibilita o usuário subir e descer escadas e ainda permite que a empunhadura seja solta sem que a muleta se mova, garantindo assim maior liberdade de movimentos.

Muleta de descarga antebraquial

Quando é vedado ao punho receber grandes cargas, as muletas de descarga antebraquial são fundamentais. Assim, a esses modelos é acoplado uma plataforma horizontal para o antebraço que servirá de suporte do peso dos membros inferiores ao invés das mãos, o que possibilita a locomoção sem acarretar mais danos ao usuário.

Agora que você já está por dentro dos principais tipos e funcionalidades das bengalas e muletas é importante destacar que o melhor auxílio-locomoção para você só poderá ser indicado pelo seu médico, uma vez que uma série de variáveis devem ser analisadas antes da prescrição. O profissional vai avaliar a marcha, função cognitiva, enfermidades, força muscular, dentre outros elementos. Do contrário, a o uso inadvertido de um DAM pode causar lesões graves!

Posto isso, agora sim você sabe as principais funções e benefícios das DAM. Se já conhecia alguma delas ou se já desfruta das vantagens dos auxílios-locomoção, conta pra gente aí nos comentários. E não deixe de acompanhar as nossas publicações semanais aqui no blog e conferir informações exclusivas que muito te auxiliarão em uma melhor qualidade de vida.

Até a próxima!