Hérnia umbilical: saiba o que é, seus sintomas e possíveis tratamentos

A hérnia umbilical nada mais é que um tecido que se desloca de maneira anormal através da parede abdominal e que se localiza na parte de trás do umbigo. Geralmente, isso acontece mais em bebês pelo deslocamento de uma alça do intestino ou por gordura através dos tecidos musculares, mas isso não significa que adultos não possam desenvolver.

É possível percebê-la pela protuberância que forma no umbigo e conforme os incômodos surgem de movimentos mais bruscos ou que precisam forçar a parede abdominal, como ao dar uma risada, ao usar o banheiro, quando há o uso da força para levantar algo, entre outras coisas.

Sintomas da hérnia umbilical e diagnóstico

Não há muitos sintomas, às vezes, pode não aparecer nada, a não ser a pequena dor, ainda mais se for uma de tamanho mínimo. Já quando é maior, a dor começa a incomodar, junto com outros sintomas, como:

  • náuseas;
  • desconfortos na região do abdômen;
  • dor ao fazer força para evacuar.

Como pode perceber, não é algo que causa alarme, por isso quase não é percebida, ainda mais quando é bem pequena. Assim, quando há o incômodo e a percepção de que algo está errado, é essencial buscar a orientação médica.

É preciso cuidar para que não ocorra o encarceramento dela, quando o intestino fica preso, sem conseguir voltar para o seu local abdominal. Isso porque todo o seu funcionamento pode ser prejudicado, pois há má circulação do sangue, o que acarreta na sua parada em casos mais graves.

O profissional da saúde, para dar o diagnóstico concreto, pode fazer exames de imagens, que ajudam a descobrir outras possíveis complicações.

Possíveis causas para o surgimento da hérnia do umbigo

Não há um motivo específico para que surja esse incômodo na parede de trás do umbigo, ainda mais quando se trata de crianças, mas, quando falamos de adultos, há algumas práticas e problemas que podem originá-la.

O primeiro deles é a obesidade tendo em vista a grande quantidade de massa gorda no corpo que pode pressionar os tecidos musculares. Cirurgias no local também, assim como várias gestações, que fazem com que o corpo mude bastante para comportar a nova vida.

Há também razões que não estão ligadas com o organismo, mas sim influenciadas pelos agentes externos. Uma delas é o carregamento de muito peso no trabalho, porque força a parede abdominal, além de causar distensões musculares e outras dores, ou o esforço que os atletas fazem em seus treinos.

Como funcionam os tratamentos? A Casa Médica explica!

Como já dito, essa hérnia é mais comum em crianças até 18 meses de idade. Assim sendo, elas costumam sair naturalmente, sem a necessidade de intervenções cirúrgicas, isso se não for do tipo grave.

Para o tratamento da hérnia em bebês, coloca-se um esparadrapo para tampar o umbigo ou uma cinta para pressioná-lo. Caso ela se estenda até os 3 anos e ultrapasse 1,5 centímetros, há a necessidade de um procedimento para tratá-la.

Neném recém nascido de fralda utilizando cinta umbilical

Agora, quando é nos adultos, como esses costumam fazer mais força e podem surgir outras complicações, assim que percebido é essencial realizar um acompanhamento médico para que seja tratado. Estatísticas médicas mostram que essas hérnias são mais comuns em mulheres do que em homens.

Ilustração de barriga humana com funda para hérnia umbilical

Ainda há outros meios de fazer o tratamento, como realizar uma herniorrafia, que pode ser feita com a videolaparoscopia ou o corte no abdômen.

A primeira consiste em 3 pequenos cortes próximos à hérnia para que a microcâmera e outros equipamentos médicos possam ser inseridos.

Já a segunda é realizada com anestesia peridural e apenas uma incisão, a qual serve para empurrar o tecido para dentro, depois fechando toda a parede com alguns pontos para que ela não volte a sair.

Recuperação pós cirurgia da hérnia umbilical

Nos cuidados pós-cirúrgicos, o paciente precisará de um tempo para retomar as suas atividades normais. E como toda incisão feita para retirar ou tratar algo, é comum que surjam dores e pequenos inchaços. Tudo isso pode ser aliviado e tratado com as medicações que o médico receitar.

Também é indicado que haja repouso de até 7 dias, dependendo da recuperação da cirurgia e de cada organismo. Não é recomendado fazer força e outras coisas que podem forçar a cirurgia.

Geralmente, não há muitas complicações, mas no menor sinal de algo anormal no local da cirurgia ou sensações ruins, é imprescindível procurar ajuda médica o quanto antes.

Você já tinha visto alguém ou já teve a hérnia umbilical? Ela assola muitas pessoas e, dos tipos de hérnias, costuma ser a menos perigosa. Mas é sempre bom estar atento(a), afinal é um assunto de saúde. Ninguém gosta de ficar doente ou de precisar fazer tratamentos mais agressivos, certo?

Bem, chegamos ao fim desse conteúdo. Para ficar por dentro de mais textos sobre doenças, conhecer aparelhos médicos e outros cuidados inerentes ao bem-estar e à boa saúde, continue acompanhando o blog da Casa Médica. Até a próxima!