Máscara descartável: entenda sua durabilidade e como usar corretamente 

A máscara descartável possui durabilidade limitada e perde a eficácia se usada por muito tempo sem a troca necessária. O ideal é trocá-la a cada 4 horas, ou sempre que sujar ou ficar úmida.

Tanto a máscara descartável quanto a reutilizável apresentam restrições de uso que devem ser seguidas à risca para evitar contaminações. Se usadas corretamente, são poderosos escudos na prevenção ao novo coronavírus

Acompanhe o post que a Casa Médica preparou para você e aprenda a se prevenir da maneira correta!

A importância da máscara em tempos de pandemia

O uso de máscaras descartáveis sempre foi comum em lugares como a China, cuja cultura preza muito pela proteção pessoal e coletiva. Após o surgimento do novo Coronavírus (Covid-19), as máscaras se tornaram populares não apenas nesse país, que foi o primeiro epicentro, mas também em outras localizações ao redor do mundo – inclusive aqui, no Brasil. 

Sua popularidade não é descontextualizada – a própria Organização Mundial da Saúde recomenda o uso da máscara (descartável ou lavável) para prevenção ao vírus, tornando-se até mesmo uma obrigatoriedade em alguns locais específicos, onde há mais indícios de casos ou políticas mais rigorosas de prevenção.

A razão é simples: a Covid-19 é transmitida, principalmente, por meio de gotículas de saliva, que se espalham pelo ar quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou fala. A máscara funciona como uma barreira a essas gotículas, impedindo que elas sejam levadas à boca ou nariz e se instalem em um novo organismo. 

No entanto, a prevenção depende fundamentalmente da higienização frequente das mãos, com álcool 70º ou água e sabão, afinal, elas podem entrar em contato com alguma superfície contaminada e, depois, com seu rosto – funcionando como um veículo de transmissão. 

Mesmo não sendo totalmente eficientes por si só, as máscaras têm efeito bastante positivo no controle à pandemia, especialmente quando a intenção é impedir que pessoas contaminadas passem o vírus adiante

O controle funciona da seguinte forma: com nariz e boca cobertos, os fluidos da pessoa doente ficam retidos no tecido e não entram em contato com outras pessoas, nem contaminam outras superfícies. Considerando, portanto, que muitos casos são assintomáticos, é essencial que todos usem a máscara como um ato de responsabilidade.

Como usar máscara corretamente? Veja 7 dicas!

Para que a máscara, tanto a caseira quanto a cirúrgica, tenha seu efeito preservado, faz-se necessário sua correta utilização, de acordo com as recomendações. Veja algumas regras de uso:

A máscara deve cobrir o nariz e a boca

É muito comum encontrarmos por aí pessoas utilizando a máscara no queixo, ou apenas na boca, deixando o nariz de fora. Mas isso está totalmente incorreto! A máscara deve cobrir completamente a região da boca e do nariz, pois é nas vias respiratórias que o vírus se instala e se desenvolve. 

O queixo não pode ficar de fora

O queixo também deve ficar bem coberto pelo equipamento. Ele fica muito próximo da boca e, por isso, merece uma atenção especial nos cuidados. 

O nariz inteiro deve ser coberto, não apenas as narinas

Ela não deve cobrir somente os orifícios das narinas, mas sim o nariz inteiro. 

O ajuste é essencial

Certifique-se de que o elástico está adequado – nem frouxo, nem apertado. As laterais não devem ficar folgadas, pois possibilitam a entrada de ar livre, sem passar por nenhum filtro.

Pegue pelos elásticos para colocar ou retirar

Tanto no momento de colocar quanto de retirar, é essencial manusear pela região certa. Pegue a máscara pelos elásticos, com cuidado, e jamais encoste na parte frontal de tecido. 

Não fique reajustando

Com as mãos limpas, você deve ajustá-la bem ao rosto no momento de colocá-la. Depois disso, não toque na parte frontal para reajustar. Sua mão (ou sua máscara) pode estar contaminada. 

Não se por muito tempo 

Tanto a máscara caseira quanto a descartável possui um tempo máximo de uso. Siga as recomendações do fabricante e faça a troca sempre que for necessário. 

Atenção à durabilidade – quando devo trocar a máscara?

A recomendação do Ministério da Saúde é que a máscara seja trocada sempre que apresentar sujidade ou umidade. 

O tempo ideal varia de cada tipo e fabricante, mas, de modo geral, as máscaras descartáveis devem ser trocadas a cada duas horas, assim como as máscaras reutilizáveis. No entanto, esse tempo precisa ser reduzido se ela ficar suja ou úmida.

A durabilidade pode parecer curta, mas é importante respeitá-la. Passar um dia inteiro com a mesma máscara, cuja superfície pode estar contaminada, oferece riscos a você e a outras pessoas que estiverem ao seu redor.

Por isso, ande sempre com pelo menos uma máscara reserva e garanta sua proteção eficiente!

Máscara cirúrgica X máscara de tecido 

O uso da máscara é de suma importância no contexto atual, principalmente por quem está doente ou lida diretamente com pessoas infectadas. Para esses dois grupos, o ideal é que se utilize uma máscara descartável, com filtro de proteção certificado. 

Para o restante da população, o modelo mais indicado é a máscara de tecido em dupla camada, que é lavável e pode ser utilizada diversas vezes após a devida higienização. O importante é respeitar os cuidados de utilização e durabilidade, realizando as trocas conforme o recomendado.

E aí, tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe abaixo, nos comentários – será um prazer conversar com você! Em nosso site, você encontra diversas opções de máscaras descartáveis e reutilizáveis para se proteger, caso precise sair de casa. 

Confira nosso site e aproveite! 

Até a próxima postagem!