Como escolher uma cadeira de rodas?

Quem é portador de necessidades especiais ou tem alguém na família que seja, depara-se com questões como: “qual a largura da cadeira rodas?”, “como escolher uma cadeira de rodas?”. Calma, iremos te ajudar! O investimento é alto e, por isso, antes de comprá-la, é necessário ter certeza que está optando por um produto de qualidade e que atenderá suas necessidades.

Afinal, na hora de comprar uma cadeira de rodas, a estética do equipamento importa, mesmo porque é importante poder usufruir de equipamentos que melhor se alinhem ao nosso gosto pessoal, mas existem outros fatores que podem mudar totalmente a experiência do cadeirante.

Por exemplo, uma cambagem excessiva pode te dificultar passar por portas e adentrar recintos, o que pode prejudicar a sua locomoção. Um encosto mais baixo pode te deixar desconfortável e trazer instabilidade para aqueles que não possuem controle de tronco.

Por isso, é preciso ter em mente quais detalhes são cruciais na hora de escolher o equipamento ideal, do contrário a sua experiência locomotora pode ficar inteiramente comprometida. Então, confira as dicas da Casa Médica de prioridades a se levar em conta na hora de escolher a sua cadeira de rodas.

Cadeira de rodas: principais fatores a se considerar

Muitos fatores devem ser levados em conta na hora de se comprar uma cadeira. Em linhas gerais, esse tipo de equipamento tem que suprir a necessidade mais básica do usuário, seja ela: garantir o direito de ir e vir, conforto e segurança e estética. Então, vejamos alguns desses fatores:

Imagem com fundo branco e ao centro cadeira de rodas

Cambagem

A cambagem diz respeito a inclinação lateral das rodas. As cadeiras feitas para se jogar basquete, por exemplo, possuem uma cambagem negativa, o que faz com que as rodas fiquem mais abertas. Isso torna mais difícil a cadeira tombar, no entanto, tamanha abertura dificulta a passagem pelas portas, ao considerarmos que as portas brasileiras são mais estreitas e nem todas possuem adaptações.

Por praticidade, a melhor cambagem é a reta para o dia a dia, uma vez que permite a entrada e saída dos recintos sem grandes dificuldades. É importante salientar que a cambagem é uma medida muito importante, posto que, se a abertura das rodas for muito larga e a porta tiver 2 mm a menos, certamente, você não irá passar, por mais insignificante pareça essa diferença.

Largura do quadril

É comum pensarmos que quanto mais larga for uma cadeira melhor, já que possibilitaria maior conforto de ajuste corporal.

No entanto, isso é errado, o ideal é medir o quadril do usuário e acrescentar 2 cm da medida do quadril, uma vez que a cadeira é um equipamento que tende a ficar por muito tempo na vida do cadeirante e, ao decorrer dos anos, é normal que engordemos ou emagrecemos, o que requer um espaço de melhor posicionamento do usuário no assento.

Considere sempre que essa cadeira terá ainda mais 20 cm somando as duas rodas, assim saberá se suas portas estão na medida necessária para você. Vejamos um exemplo:

  • Medida do quadril: 38 cm;
  • Largura adequada para sua cadeira: 40 cm;
  • Largura total cadeira: 60 cm;
  • Largura de sua porta: maior que 60 cm.

Profundidade do assento

Saiba que, ao escolher um assento muito curto, as suas pernas não ficarão muito bem apoiadas na parte debaixo dele e você encontrará dificuldades de dobrá-las, o que pode gerar muito desconforto e dores corporais, portanto, a medida antropométrica é extremamente importante para uma boa ergonomia.

Tilt do assento e altura do encosto

O tilt é a diferença entre a parte da frente e a parte de trás do assento. Quanto mais para baixa estiver a parte de trás, mais estável o cadeirante ficará. No entanto, mais difícil se torna fazer uma transferência, o que exigirá um pouco mais de força.

O encosto não pode ser alto demais nem baixo demais. Sempre que houver controle do tronco e força nos braços opte por uma cadeira com um encosto mais curto, que vá até a escápula, pois assim trará um ganho de mobilidade ao usuário.

No caso de controle de tronco, mas sem força, opte por um encosto que vá até as axilas. Em casos de falta de controle de tronco também a melhor opção é que o encosto vá até as axilas e haja um cinto em “X”.

Por fim, se não haver controle da cabeça, o ideal é uma cadeira reclinável com cintos em “X” e encosto de cabeça.

Angulação da perna

Quanto mais inclinado para trás estiver o pedal tão mais o seu joelho ficará dobrado; quanto mais para frente, a cadeira tende a alongar, as suas pernas ficarão mais retas e o giro tende a se tornar maior, ou seja, será preciso de um espaço maior para girar a cadeira em 360º.

Aliás, a angulação da perna é muito importante para acessar os ambientes de um dado recinto – quanto maior, mais se exige da adaptação dos recintos.

Centro de gravidade da cadeira

O centro de gravidade é o eixo de onde as rodas de trás ficam alocadas. Cadeiras de rodas com centro de gravidade mais a frente tendem a empinar com maior facilidade ao contato corporal.

Já cadeiras com o centro de gravidade mais para trás são muito difíceis de empinar, o que pode dificultar a locomoção por rampages. Portanto, o melhor seria dispor de uma cadeira de rodas com centro de gravidade regulável.

No entanto, caso não seja viável, opte por cadeiras com o centro de gravidade um pouco mais atrás para evitar eventuais empinadas e, consequentemente, possíveis tombos e lesões.

Principais tipos de cadeiras de rodas

Agora que você já sabe quais fatores levar em conta na hora de escolher uma cadeira de rodas, nada melhor do que conhecer os tipos de cadeiras para escolher de forma mais assertiva a cadeira de rodas ideal para atender às suas necessidades.

Cadeira manual simples

Se o que você busca é baixo custo, as cadeiras de rodas manuais simples são ideais para você. Em geral, essas cadeiras são mais indicadas para pessoas com dificuldades temporárias de locomoção, que passaram por um procedimento cirúrgico e estão em processo de reabilitação física. Por serem básicas, esses modelos não possuem grandes opções de ajustes de regulagem.

Cadeira dobrável em X

Cadeiras dobráveis em X, em geral, são construídas em liga de alumínio com barras hexagonais que lembram um “X”. Tais cadeiras de rodas são muito versáteis e podem ser encontradas em diversas cores e designs.

Como contam com almofadas acopladas, acabam oferecendo maior conforto e bem-estar ao usuário. Aliás, entregam maior estabilidade corporal e são mais indicadas para cadeirantes que possuem maior dependência de locomoção e pouco controle de tronco.

Uma cadeira que representa muito bem essa categoria é a K1 Eco alumínio da Ortobras um modelo para quem busca qualidade e bom preço. Ela é confeccionada em liga de alumínio aeronáutico temperado, que a torna muito resistente e estável.

Ademais, a K1 Eco conta com sistema de alavancagem rápida, chamado de“quick release”, nas rodas traseiras e apoio fixo para os pés com ajuste de altura, o que garante maior conforto ao cadeirante. Indicamos esta cadeira para quem não está em recuperação cirúrgica e possui um quadril que necessite de elevação de pernas.

Ficou curioso sobre a K1 Eco? Então, saiba um pouco mais assistindo o nosso vídeo a seguir:

Cadeiras monobloco

Cadeiras monobloco possuem fechamento em L, ou seja, quando fechamos o encosto fica sobre o assento. O grande ponto positivo desse tipo de cadeira é a leveza, o que propicia ao cadeirante maior independência, podendo manuseá-la sozinho sem a ajuda de terceiros. Tal modelo é mais recomendado para cadeirantes mais ativos, inclusive atletas.

E aqui quem perfila como uma ótima opção de cadeira monobloco é a M3 Premium da Ortobras. Ideal para quem tem uma vida bastante independente e ativa, a M3 é construída em estrutura monobloco com materiais mais leves e inovadores em seus componentes. O uso dos materiais certos permite que essa cadeira seja segura e funcional para uso diário.

Imagem com fundo brando e ao centro cadeira de roda M3 premium

Totalmente ajustável, a cadeira de rodas M3 Premium da Ortobras se adapta ao tamanho do usuário e ainda conta com uma estrutura monobloco, que proporciona um melhor aproveitamento da energia na propulsão de deslocamento para que o usuário possa ter mais velocidade em cada impulsionada e fazer as suas tarefas diárias com maior agilidade.

Consulte seu Médico e Fisioterapeuta

Vale lembrar que, antes de comprar qualquer produto ou equipamento médico, é muito importante consultar um especialista para saber se aquela realmente é a escolha acertada para a sua condição de saúde. Por melhor que um produto seja, ele pode não ser indicado para todos os tipos de necessidades especiais e pode não ser a melhor opção para o seu caso.

Agora você já sabe o que considerar na hora de escolher uma cadeira de rodas que melhor atenda às suas necessidades, podendo te acompanhar por toda a vida. Que tal nos contar, aí nos comentários, o que achou do post de hoje? Já fazia uso de alguma dessas cadeiras?

Se quer ficar por dentro de dicas como essa, acompanhe o nosso canal no Youtube.

Até a próxima!