Dicas para escolher o melhor andador para idoso

Um dos principais transtornos com o avanço da idade é o aparecimento de problemas crônicos que limitam a mobilidade: inflamações e desgaste nas juntas, dificuldade de fixar o cálcio, dores musculares e problemas diversos que podem afetar o sistema motor.

Pensando na segurança dos nossos entes queridos, nos perguntamos: qual o melhor andador para idoso? Existem modelos bastante variados e, na hora de fazer a escolha, vale a pena conhecer um pouco mais de cada um. Conheça-os no post:

Quando escolher um andador para idoso?

Existem diferentes tipos de artigos ortopédicos para auxiliar na mobilidade, e aqui em nosso blog já comentamos sobre alguns deles. A escolha do mais adequado geralmente vem por indicação médica. O ortopedista avalia o nível de limitação do conjunto motor, qual área foi afetada e se aquele dano é temporário ou permanente.

As muletas costumam ser empregadas para danos temporários, por serem mais baratas e não exigirem tanta adaptação, jogando a pressão para a parte superior do tronco.

Já as bengalas costumam ser companheiras para os problemas de longo prazo ou permanentes, auxiliando especialmente em problemas na lombar o no quadril, diminuindo a pressão sobre estas partes.

As cadeiras de rodas também podem ser empregadas para danos mais severos nas pernas ou nos quadris, evitando ao máximo qualquer tipo de esforço na área.

O andador fica nessa área intermediária entre os aparelhos de mobilidade. É ideal especialmente para uma pessoa que teve o equilíbrio comprometido, porque oferece uma base grande de apoio na hora da movimentação.

A estrutura do andador permite que ele seja construído de diferentes maneiras, o que o torna uma opção interessante para a recuperação de pessoas com traumas grandes, como de acidentes automobilísticos, nos quais a pessoa tem sérias restrições de mobilidade mas precisa praticar constantemente e aos poucos o andar, para evitar atrofias.

No caso dos idosos, em que muitas vezes o problema é crônico, é importante que ele continue tendo uma vida com mobilidade ativa na medida do possível. Dessa maneira, evita-se atrofia e mais dores, ao mesmo tempo em que aumentamos a qualidade de vida. Os andadores costumam ser a opção ideal, mas a indagação de qual o melhor andador para idoso sempre aparece, principalmente em meio a tantas opções.

Tipos de andador para idoso

A variedade de andadores é grande, vale a pena conhecer um pouco mais de cada um dos tipos para avaliar qual o mais indicado para cada situação:

  • Andador fixo: o modelo mais simples e comum de andadores tem uma estrutura com 4 pés e apoio para as mãos. Para idosos sem restrições nos membros superiores, pode ser uma opção bastante acessível, mas exige força nos braços e limita consideravelmente a velocidade média.
  • Andador articulado: uma variação dos andadores sem rodas, possuem um eixo frontal que diminui o esforço necessário para movimentar o aparelho, sendo possível mover seus apoios na horizontal, um por vez, num ritmo mais parecido com a marcha habitual. É uma boa opção para a recuperação de traumas físicos.

Imagem com fundo branco e ao centro andador articulado para idoso

  • Andador com rodas: os andadores com rodas aumentam bastante a velocidade de locomoção, e são encontrados em diferentes opções:
  • Com rodinhas frontais: se parecem com o andador comum, mas o implemento das rodas frontais diminui bastante a força necessária para marchar. Isso auxilia idosos com pouca força nos braços, mas exige treino para fazer a frenagem.
  • Com três ou quatro rodas: há também os andadores de três e quatro rodas. Por aumentar bastante a velocidade de marcha e potencializar acidentes, eles vêm equipados com freios e sistemas de segurança, o que oferece muito mais tranquilidade e também facilidade para o idoso.

Imagem com fundo branco e ao centro andador de quatro rodas para idoso

Muitos dos andadores de rodas vêm com um assento, o possibilita que o idoso se sente e seja carregado, como nas cadeiras de rodas.

  • Andador motorizado: Os andadores motorizados são opções para pessoas com a mobilidade severamente limitada. Neles, o idoso fica sentado e dá os comandos, o sistema é prático e oferece segurança ao idoso, além de facilitar o transporte de bolsas ou sacolas.

Dicas para escolher e usar o andador

É sempre importante observar a capacidade do andador em relação ao peso suportado.

Também é necessário analisar o ajuste de altura: o apoio para as mãos pode ter diferentes ajustes de acordo com a indicação médica, mas, no geral, fica ligeiramente acima da cintura.

Jamais utilize o andador se algum dos quatro ponteiros dos pés ou alguma das rodas não tocar completamente o chão.

Leve sempre em consideração a opinião médica e pratique bem antes de sair para andar na rua. Comece aos poucos, até pegar confiança na marcha do seu tipo de andador.

Descobriu qual o melhor andador para idoso no seu caso? Aqui no blog da Casa Médica você acompanha diversas dicas para cuidar da saúde e, em nossa loja online, a maior variedade de produtos médicos para clínicas e uso pessoal. Confira!